Minha Primeira Vez

Meu nome nome é Jorge, tenho 52 anos e desde criança presencio fenômenos mediuúnicos. Fenômenos esses que tive que ocultar da minha família, pois para minha mãe criança que falava coisas estranhas ou fazia esquisitices tinha problemas mentais.
Assim cresci uma criança sombria, envolta em meus segredos. Até hoje tenho flashes de lembranças que me remetem à infância, como se no meu passado estivesse “respostas” para o meu futuro. E sempre em momentos oportunos essas lembranças vêem À tona.

Hoje dirijo um terreiro de Umbanda, e a cada problema com a corrente ou com algo relacionado ao centro, tenho que voltar ao passado para tentar entender, refletir e solucionar. Em junho temos um recesso de duas semanas para descanso, e sempre antes de retornar surge um problema. Engraçado que notei que é um problema recorrente, pois muda-se os personagens, mais a situação é sempre a mesma. Exigindo de mim um pulso mais firme como dirigente da casa. Foi assim que esse ano tive um dejavu do tempo que ao chegar a minha adolescência e não suportando mais, resolvi desabafar com um amigo, e olha o destino conspirando, meu amigo era, sem que eu soubesse umbandista. E adivinha onde ele me levou…

Era sexta feira de julho, sei por que era uma noite fria e estranhamente escura, logo pressumo que não havia luar. Chegamos no centro que ficava num bairro bem afastado. Meu amigo me mostrou onde eu deveria sentar (Esquera homens e na direita mulheres) e entrou para dentro de um cercado onde havia várias pessoas conversando e vestidas de branco. Meu amigo havia levado um tipo de mochila mais feita de algodão e de cor mais para bege que para branco.

Quando menos espero, olhá lá o danado vestido de branco e se colocando atrás de um atabaque. Por essa eu realmente não esperava! Tantos anos de amizade e ele havia guardado aquele segredo de mim. Por que será?

Já era oito horas e os trabalhos iam começar. O que esqueci de falar aqui, é que ao entrar no centro e passar um olhar crítico em tudo que via, tive a estranha sensação que já havia estavo ali. O que era humanamente impossível.

Voltando aos trabalhos da casa. Foram distribuídas fichas e a minha estava escrito Caboclo Pena Branca. Quando todas as senhas foram finalmente distribuídas, meu amigo me chamou discretamente num canto e me perguntou qual senha eu havia pegado. Repeti o nome que estava escrito e ele deu um sorriso satisfeito. Confesso que aquele sorriso me deixou mais desconfiado que confiante.

Eu sentado observava o entra e sai de pessoas, e o número de cada ficha. Havia fumaça no ar, uma música era tocada. Más pela força dos atabaques eu não entendia bem o que falavam, talvez a adrenalina me deixasse um pouco surdo. Meu coração deu um pulo e ouvi meu número. Me levantei agitado e fui em direção a entrada. Meu amigo se aproximou e falou no ouvido que eu era minha primeira vez. Ela então passou essa mensagem para um rapaz que estava ao lado de…Um índio! Era isso mesmo! Um índio com um longo penacho branco. Ao me ver abriu um sorriso, me saldou como velho conhecido, e já foi logo reclamando: Como foi complicado te trazer aqui heim meu filho. Você é muito teimoso! Dei uma risada tímida e perplexa que fez o velho índio soltar uma gargalhada que até mesmo seu cambono (nome dos auxíliares dos espíritos) se deixou levar pela festa.

O cambono tentava explicar para o índio que era minha primeira vez, o que ele negava. Filho, esse moço aqui já veio aqui na casa comigo várias vezes, ele tem mediunidade de berço e está aprendendo para um dia abrir a casa dele! O cambono me olhou assustado e eu repeti: É a primeira vez que venho aqui. O velho índio falou: Vestido de carne é, mais sem essa vestimenta aí não né meu filho, e riu. Desta vez eu também ri, por que intimamente parecia ser verdade. Lembrei de imediato a impressão que tive ao entrar na casa. Meu cérebro tentava achar explicação para tudo aquilo, e parecia brigar com minha mente.

Terminada a consulta, onde pedi somente proteção. Me despedi do velho (novo) amigo e virei as costas para ir embora. Ainda sentindo meu cérebro brigar com minha mente, como se fossem marido e mulher, parecia até que eu ouvia: Como vc vem aqui sem eu saber?! Berrou meu cérebro. Era necessário! E o que vc veio buscar neste lugar? Conhecimento! Finalizou minha minha…Antes que eu alcançasse a saída, uma enorme mão foi colocada no meu ombro e me puxou para trás bruscamente. Olhei para ver quem era, más já não estava ali. Não a mão, mas eu…

Que loucura era essa? Que feitiçariua tão poderosa era aquela? Onde eu estava? Tudo era só escuridão, meus olhos nada viam, aos meus ouvidos chegavam gritos, chorro, lamentações, gemidos de dor. Parei de tatear a escuridão. E pensei: Preciso achar uma forma de sair daqui. Respirei fundo. Minha mente começou a separar os sons, na procura de algo. Eu sinceramente não sabia o que era, mas não tinha outra opção a não ser confiar…

Fui isolando cada gemido, cada chorro, cada grito e de repente, uma voz. Como era parecida com a minha. Devagar fui caminhando em sua direção. Estava próximo. Vai você consegue, mais alguns passos e derepente estava eu de novo no Terreiro de Umbanda de Pai Joaquim de Angola.

Eu estava deitado no chão e em minha volta muitas pessoas. Palavras eram ditas: Abre o olhos, qual o nome dele? Não sei! Célio, Célio, qual o nome do seu amigo? Jorge, Jorge seu Anjo da Guarda te chama! Não concentra, abre os olhos. Meu cérebro confuso tentava entender tudo aquilo e qual o significado da palavra “concentrar”. Me levantei com a ajuda das pessoas. Eu tremia todo e estava tremnendamente suado, como se tivesse feito uma longa caminhada.

Seu Veludo falou para você ficar para o final do trabalho. Vão riscar pólvora para você. Ele falou também que é para vc falar com o mentor da casa para vc entrar para a corrente. Eu na minha complexidade só falava tá bem, tá bem! Depois eu perguntaria para o meu amigo, eu só queria e precisava naquele momento sentar e refletir o que havia acontecido.

Assim foi minha primeira visita num terreiro de Umbanda.

Anúncios

João de Deus e as demais vertentes do espiritismo

Depois das denúncias contra João de Deus, realizada pelo programa do Bial (Globo), não é só a cidade de Abadiânia/ GO que tem passado por momentos complicados não. Todos os “espiritualistas”, independente de ser da Umbanda, Candomblé, Kardecismo e etc, tem sido vítimas de piadinhas e chacotas.

Agora me responda uma coisa: Apenas a doutrina de João de Deus que errou? Por que não dá publicidade quando um padre abusa de uma criança?

WhatsApp Image 2018-12-12 at 12.42.52

E quando a denúncia é contra os pastores?

WhatsApp Image 2018-12-12 at 12.58.53.jpeg

Maldito o homem que crê no homem não é mesmo? E isso vale também, e principalmente para as mulheres.

Estamos em 2018/ 2019, não se iluda, a vida é real. A fé cura e não o homem! Faça suas preces, suas orações, suas rezas, mais saiba quando dizer não. E se por acaso você dizer sim, que seja por amor ou simplesmente pelo prazer.

Senhores das religiões: Separem as coisas, respeitem as ovelhas. Você está ali como pastor, e não como reprodutor.

Humanos somos todos. As religiões são perfeitas pois pregam a paz, a solidariedade, o amor, a fraternidade. Não estou aqui falando que TODOS os dirigentes são fracos para comandarem suas religiões. Estou falando que até os chefes espirituais precisam de quem cuide de sua cabeça. Seja um mentor, psicólogo, psiquiatra, etc.

WhatsApp Image 2018-12-12 at 13.00.20.jpeg

A humanidade perde quando julga o homem João de Deus, juntamente com a Casa de Dom Inácio de Loyola. Um projeto maravilhoso que abriga, ampara e ajuda a tantos, inclusive a cidade escolhida para brigar essa maravilha. João tem sido honesto e tem falado aos quatro ventos: Julguem o homem e não a obra!

WhatsApp Image 2018-12-12 at 13.02.18

Recentemente, minha intuição (Chamo assim o meu mentor), me pediu para que eu fosse visitar a obra do João antes que ele se acbasse. Na minha ingenuidade, achei tratar esse “antes de acabe” como sendo um futuro desenlace de João. Nunca iria imaginar que essa avalanche de denúncias, essa fome da imprensa por jogar lama no prato alheio, essa gana da Rede Globo de destruir que lhe ameaça, mesmo que essa instituição tenha tentado consertar os artístas que ela destrói psicológicamente. Mais irmãos, creeiam em mim: Haverá o dia que o império Globar também irá ruir…

WhatsApp Image 2018-12-12 at 13.50.28.jpeg

Enquanto isso João de Deus paga o preço de ser pop, de ser socorrista. Quem de tantos que ele ajudou irá levantar a voz para  “defendê-lo“?

A cada novo epísodio, a vênus platinada acrescenta um detalhe… Mais uma história, ou novela, roubada de um autor que não faz parte do casting da Rede Globo né?

Obrigado pela leitura!

Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá!!!

 

Fiz referência aos episódios roubados de uma certa novela, usando como pretesto um determinados curso (Master Class) administrado por certo autor global.

As fotos anexadas neste Ponto de Vista tem como fontes: G1, Agência O Globo, Catraca Livre, Metrópolis e O Dia.

 

 

 

5 Dores de Crescimento Comuns da Ascensão Espiritual

Capturar

Para aqueles de nós que nos encontramos viajando em um caminho espiritual, pode ser muito comum a experiência de algumas “dores de crescimento” em nossa jornada.

As coisas que ferem apartando-nos de crenças, mas que sempre resultam em mais clareza, sabedoria e uma perspectiva mais profunda. A identificação dessas lutas comuns do caminho espiritual pode ser útil. Isso nos faz perceber que não estamos sozinhos, e que há certas energias arquetípicas que todas as pessoas em um caminho espiritual acabam encontrando.

Se você estiver enfrentando algumas destes lutas, tenha fé. A mudança está ocorrendo porque você está tornando-se uma pessoa mais autêntica e conectada. A dor que você sente é apenas um catalisador temporário que irá impulsioná-lo para o seu novo eu.

Como você muda, é natural lamentar-se da perda de aspectos do seu eu anterior. Não se apegue à sua velha identidade em sua mente. A chave para lidar com as dores do crescimento no caminho da ascensão espiritual é aceitar o fluxo da vida e trabalhar com a realidade, e não contra ela.

Aqui estão 5 dores de crescimento comuns de ascensão espiritual que todos nós experimentamos:

1) Perda de amigos

Isso pode ser especialmente traumático para essas pessoas. Tornando-se mais espiritualmente conectado pode mudar muita coisa sobre você muito rapidamente, e isso pode afetar algumas de suas amizades mais próximas. Isso pode causar que alguns de seus amigos azedem com você, distanciem-se de você e, mesmo, até lhe humilhem.

Antes, talvez você estivesse disposto a se envolver em comportamentos que agora parecem errados, como fofocar, reclamar, ou discutir alguns temas com o seu grupo de amigos. Também é provável que os temas que você discutiu com os seus amigos agora fazem você se sentir vazio e você prefere discutir questões que os seus amigos não entendem ou não estão interessados. Eles podem até chamá-lo de louco por elas.

Infelizmente, estas diferenças de perspectiva e comportamento às vezes podem ser o suficientes para romper amizades que significaram muito para você ao longo dos anos. Perceba que tudo o que você pode fazer é ser fiel a si mesmo e permitir que as fichas caiam. Você não tem o poder de converter ninguém ao seu modo de pensar, e nem deve. Tudo o que você pode fazer é ser genuíno e sincero, e o Universo irá conectá-lo com as pessoas que estão em maior sintonia com a sua nova vibração.

2) Os mal-entendidos na família

A maioria dos membros da família são pouco propensos a se afastarem porque você está num caminho espiritual, mas provavelmente estão muito confusos por sua mudança de perspectiva. Se você tem pais que são religiosos, eles podem até acusá-lo de ter se perdido e separado de Deus.

Seja autêntico, e assuma a responsabilidade pela energia que você traz em cada conversa. Basta continuar sendo você mesmo, e o “novo você” vai se tornar mais familiar para os seus entes queridos.

Na minha própria jornada, meus familiares, na verdade, começaram a tornar-se curiosos e a me fazer perguntas, e agora suas mentes estão muito mais abertas do que costumavam ser. Lembre-se, é melhor ser mal interpretado por ser quem você é do que esconder-se por medo do que sua família possa pensar. É a sua vida para viver, não a deles.

3) Sendo escarnecido e ridicularizado pela sociedade

Enquanto muitas pessoas estão em um caminho espiritual consciente no mundo de hoje, há muitas pessoas que permanecem na escuridão sobre sua verdadeira natureza.

Tornando-se mais ocupado espiritualmente pode expô-lo a um pouco de ridículo por ser diferente. Sendo zombado, ridicularizado e maltratado é apenas uma parte de estar distante de um mundo que está dormindo. Esta é provavelmente a dor de crescimento mais comum de ascensão espiritual.

Isso porque muitas vezes você ouve as pessoas fazendo piadas sobre as pessoas que comem alimentos orgânicos, meditam, têm sonhos lúcidos, carregam pedras (cristais), ou falam sobre questões e filosofias espirituais.

Se você tivesse que falar sobre essas coisas há milhares de anos, as multidões se reuniriam na rua e as pessoas estariam animadas para compartilhar suas experiências. Por causa das consequências emocionais de não ir junto com o rebanho no nosso dia e época, pode ser difícil até mesmo sair do armário com suas crenças espirituais.

O julgamento que você pode sentir de ser “out” (fora) pode ser desconfortável no início, mas confie que com o avançar do tempo ele se tornará menos frequente e mais fácil de lidar. À medida que se tornam mais confortáveis ​​com nossas diferenças, nós projetamos o conforto para o mundo, e nós recebemos menos julgamento como resultado da nossa confiança.

O Universo pára de enviar as experiências que se abatem sobre os nossos pontos fracos, uma vez que transforma-os em nossos pontos fortes. Seja autêntico, sincero e na integridade. E quando as pessoas zombarem de você num espaço como esse, isso os fará parecerem bobos.

4) Mudanças de carreira

Quando há mudanças de perspectiva, o seu trabalho simplesmente pode não ser uma boa opção para você. De repente, o trabalho que você tem ficou pequeno/encolhido e você se sente vazio, ou ainda pior, prejudica a sua alma. Durante um despertar espiritual, você pode chegar à conclusão de que seu trabalho não está funcionando como uma extensão de sua alma.

Para alguns, uma mudança de carreira pode ser intencional e planejada, mas para outros, pode vir na forma de ser de repente demitido. Quando você é incompatível vibracionalmente com a forma como você está gastando a maior parte de suas horas durante a semana, é apenas uma questão de tempo antes que você ou seu empregador decida que, no melhor interesse de todos, você deixe o seu trabalho.

Pode ser muito doloroso ter uma transição repentina assim. Mas acredito que isso aconteceu por uma razão. Muito mais felicidade e satisfação está à frente para você. A vida é muito curta para passar por qualquer coisa diferente de fazer com o que sua alma viva.

Renda-se ao Universo, e Ele irá levá-lo exatamente onde você precisa estar espiritualmente, bem como profissionalmente.

5) Solidão

A solidão é um subproduto natural de ascensão espiritual. Naturalmente, como nossos relacionamentos, empregos e estilos de vida mudam, assim a nossa capacidade de confiar nas coisas que costumávamos confiar.

Em tempos como estes, é bom aproximar-se de uma comunidade espiritual. Ter uma aula de yoga, ou participar de um retiro de meditação. O Universo irá prepará-lo com um novo cenário para apoiar o seu novo estilo de vida, mas você tem que fazer um esforço para criar isso para si e para satisfazer o Universo no meio do caminho.

A boa notícia aqui é que quando você encontrar pessoas no mesmo caminho, você pode ter certeza que irão fornecer amizades e conhecimentos que são genuínos e edificantes.

Você pode notar que você tem menos amigos, mas mais do tipo certo.
Um aumento na qualidade e uma diminuição na quantidade.

Nesse meio tempo treine ficar com você mesmo.
Comece a praticar meditação e aprender a estar confortável consigo próprio.

Aprender a estar sozinho é essencial para lidar com qualquer sentimento de perda que surgiu desde que começou a perseguir seu novo caminho.

Apesar de que encontrar seu Eu espiritual possa ser uma experiência gratificante e esclarecedora, haverá algumas mudanças que vão ser um desafio para ajustar-se.

Nem todo mundo vai experimentar todos esses ajustes, mas se algum destes se aplicam a você, você não está sozinho. Seja paciente com o Universo e fique na integridade para a nova versão de si mesmo. O resto vai cuidar de si.

Se você está tendo dores de crescimento espiritual, perceba que no final do dia, elas são simplesmente sinais de que você está crescendo e evoluindo. Todas as coisas que estão listadas neste artigo são, na verdade, sinais de que está no caminho certo.

Portanto, não pense que você tem feito algo de errado, ou que você está fazendo escolhas inadequadas através da adoção de um novo estilo de vida que parece tornar confusas as pessoas ao seu redor.

Mantenha-se fiel a si mesmo e com o tempo, você vai amadurecer em uma posição mais confortável e estável. Quando você alinha suas emoções, pensamentos e intenções com melhorar a si mesmo e explorar a sua verdadeira natureza, o Universo sempre conspira para que você possa dar-lhe a vida que você precisa.

Seja paciente e confie no Universo.
A fim de crescer em uma nova pele, você tem que primeiro perder a antiga.

Obrigado pela leitura!

Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá!!!

As 7 Linhas de Umbanda: Histórico e Evolução — Perdido em Pensamentos

“Com os espíritos mais evoluídos aprenderemos, Aos menos evoluídos, ajudaremos. Mas a nenhum viraremos as costas.” Caboclo das 7 Encruzilhadas Como começamos a falar no artigo sobre Vertentes de Umbanda, nem toda estrutura umbandista… O post As 7 Linhas de Umbanda: Histórico e Evolução apareceu primeiro em Perdido em Pensamentos.

via As 7 Linhas de Umbanda: Histórico e Evolução — Perdido em Pensamentos